Aplicação de vasinhos com glicose

Microvarizes são veias dérmicas (na pele ) com até 1 mm de diâmetro. Ainda que possam estar conectadas com veias doentes (varizes) elas por si apenas não representam enfermidade venosa, porém, são bastante essenciais do ponto de ideia estético.


O que as provocam?


Suas motivos são variadas, porém destacam-se, a genética único, os hormônios femininos e o envelhecimento.


Como se tratam?

Saiba Mais: Aqui no Brasil é conhecida como aplicação de vasinhos, e secagem de vasinhos


Os tratamentos medicamentosos apenas atuam nos sinais, no momento em que há ( percepção de aborrecimento e pesar nas áreas atingidas).


O tratamento padrão é a escleroterapia. Há inúmeras técnicas de escleroterapia, cada uma possui uma recomendação mais adequada. Dessa maneira, na maioria das vezes mais de uma técnica é usada no tratamento da paciente.


Quais são as principais técnicas usadas?



Nesta forma o líquido esclerosante (que irá secar o vasinho) é introduzido de modo direto dentro dele, como se fosso uma micro injeção na disposição. Os principais líquidos usados são:


Dextrose hipertônica: uma saída de dextrose bastante concentrada, usualmente 50 a 75% é usada. Possui como principais benefícios ser um produto natural, sem riscas de reações alérgicas e baixo índice de problemas como chaga de pele. Seus principais inconvenientes são a viscosidade grande obrigando a uso de agulhas mais calibrosas, e a calor no local da injeção.


Monoethanolamina (Ethamolin): elemento é mundialmente usada com segurança à diversas décadas. Precisa ser diluída em água destilada ou soro fisiológico, sendo a diluição a norma da experiência único do angiologista. Remédio bastante segura em mãos experientes, não é viscosa, então pode-se servir-se as agulhas mais finas disponíveis, além de não ser conta.


Escleroterapia com baba


Nesta técnica o líquido esclerosante ( frequentemente o polidocanol) é bagunçado com ar ou CO 2 formando-se uma baba viscosa e introduzido na disposição. Pelo feito da baba abarbar o lugar do sangue dentro do vaso e pela viscosidade grande realizar com que permaneça mais tempo em contato com as paredes internas dos vasos, ela é mais indicada para vasinhos mais calibrosos e até mesmo para algumas varizes.



Escleroterapia com Laser

Neste caso os vasos são esclerosados pelo calor citado pela luz do Laser. No momento em que empregado apenas o Laser, tem-se a proveito de não ocorrer urgência de injeções, especialmente fundamental para pacientes com medo a rumo.

Como inconvenientes, estão o valor do aparelho e das sessões, o dolorimento do princípios ( efetivamente, Laser dói), e a grande dificuldade ( e em oposição a recomendação ) de alimentar peles bronzeadas e escuras.


Escleroterapia combinada


Como o nome recomenda, nesta forma combina-se mais de uma técnica para estimular o resultado esclerosante. É bastante empregada no momento em que da uso de Laser.


O que mais é fundamental saber?


Como qualquer tratamento são capazes de ocorrer problemas eventuais, sendo as mais comuns, reações alérgicas, manchas e ulcerações nas regiões tratadas.


Como se trata de uma insulto à taipa interna do vaso, o resultado final não é imediato, ocorrendo frequentemente 30 a 45 dias após a prática da escleroterapia.


Os componentes genético e envelhecimento não poderão ser modificados por qualquer técnica usada nem sequer pelo angiologista. Dessa maneira, o técnica de secagem de vasinhos não precisa ser encarado como definido e efetivamente como paliativo que pode e precisa ser retinido quantas vezes for esperado.

FONTE: https://www.r7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial