Blefaroplastia Recuperação

Blefaroplastia é a intervenção plástica que benefício o fachada das pálpebras superiores e inferiores, eliminando bolsas de gordura, rugas, flacidez e com isto rejuvenescendo a região em redor dos olhos.

Informações da blefaroplastia


A intervenção plástica costuma ser procurada por pacientes com mais de 30 anos. Ela está indicada para que pessoas possui exagero e / ou flacidez de pele nas pálpebras, para quem possui bolsas de gordura na pálpebra inferior e para quem possui ptose ( queda da pálpebra por motivos musculares) ou pseudoptose palpebral ( queda da pálpebra em ofício do exagero de pele ).

A intervenção similarmente pode ser feita para retirada de xantelasmas (pequenas bolinhas de colesterol que se formam, especialmente, nas pálpebras), além de rugas na pálpebra inferior.


Como é feita a blefaroplastia


É realizada anestesia local com sedação ( mais comum ) ou anestesia maior parte. A intervenção dura por volta de 40 minutos a uma momento e meia
O clínico marca o exagero de pele e corta com o bisturi, posteriormente cauteriza com bisturi ativo e efetua pontos da região exterior das pálpebras.

Os pontos são capazes de ser absorvíveis (que caem sozinhos) ou removíveis. Alguns cirurgiões fazem o uso de adesivos cirúrgicos de pele em vez de pontos
Em casos de ptose palpebral ( queda da pálpebra por motivos musculares) o médico corrige a musculosidade orbicular.


É possível relacionar mais procedimentos, como rinoplastia ( revisão do nariz ) ou lifting facial na mesma intervenção.


-É essencial internação de 6 a 8 horas, caso sejam associadas outras cirurgias, como as citadas acima, o tempo de internação pode se extender a um tempo de 12 à 24 horas.

Afazeres antes da intervenção


É preciso jejum de oito horas antes da intervenção e prática de exames como hemograma (o exame de sangue ), coagulograma ( avaliação da coalhadura do sangue ). Remédios anticoagulantes, como a aspirina, precisam ser evitados um mês antes da intervenção. Similarmente é sugerido abandonar o fumo com ao menos um mês de primazia à intervenção plástica.


Afazeres do pós-operatório

A intervenção deixa uma gilvaz discreta, uma vez que encontra-se localizada precisamente na carquilha da pálpebra superior ( quantidade que encontra-se escondida no momento em que o atenção está aberto ) e bem por baixo dos cílios inferiores, no caso da pálpebra de baixo ou também dentro da conjuntiva ( parte de dentro dos olhos ). O começo de queloides é bastante raro nesta região, porém pode ocorrer.


Fumo


O cigarro precisa ser evitado ao menos 1 mês antes da interferência e nos 2 meses seguintes à intervenção uma vez que prejudica a microcirculação e compromete a cicatrização.


Medicamento


É comum que o médico indique o utilização de antibióticos preventivos e analgésicos se houver dor. Todos eles administrados por via oral, ou seja, tomados pela boca. O utilização de colírios pode ser realizado somente para lubrificação dos olhos.



Precisam ser usados até que a cicatrização esteja completa, cerca de 30 dias. A atuação do luz pode impedir a cicatrização e deixar a pele da região manchada.


Para dormir


O paciente precisa dormir de abdômen para cima por duas semanas, em seguida disso é possível dormir de lado. Utilização de lentes de contato Quem usa lentes precisa evitá-las nos primeiros 10 dias.


Inchaço


Compressas geladas feitas com água e gaze ou tela limpos auxiliam a diminuir o inchaço da região.

Resultados


Na primeira semana já é possível analisar os resultados, porém eles se tornam mais evidentes em seguida que diminui o inchaço Depois de 2 a 3 meses – e apenas estarão completos depois de seis meses a 1 ano. Melhores resultados aparecem quanto mais forte a pele das pálpebras estiver. Quanto mais flácida a região, mais acelerado a pálpebra cairá de novo. Esta última alteração está relacionada com os efeitos do envelhecimento da pele.


Contraindicações à blefaroplastia



Pacientes com doenças crônicas como diabete, pressão alta e carência cardíaca descompensadas precisam antes controlá-las para em seguida submeterem-se a cirurgias plásticas. Quem possui complicações de ficção, como miopia ou hipermetropia, por exemplo, são capazes de realizar a intervenção sem qualquer dificuldade.


Quem é o profissional talhado a realizar a intervenção


Saiba mais: Pálpebras caídas estão entre os primeiros sinais do envelhecimento


Efeitos adversos da blefaroplastia


Após a intervenção plástica de blefaroplastia, há chances de que a gilvaz fique adverso, dor que pode manter-se, descoloração da pele e inchaço que são capazes de aumentar espontaneamente ou depois de tratamento, a ficção embaçada ou temporariamente prejudicada.

Pode ocorrer similarmente sangramento e formação de hematomas, concentração de líquido (seroma), formigamento e outras modificações na receptividade da pele temporárias ou permanentes.

Por último, há chances de os fios de suturas, espontaneamente, emergirem na pele, tornam-se visíveis ou produzindo estresse que exijam sua retirada. Em todos estes casos é recomendado voltar ao clínico que realizou o técnica.


Riscas que a blefaroplastia oferece à saúde


Como qualquer cirugia, a blefaroplastia oferece riscas à saúde. Entre os riscas comuns a qualquer técnica cirúrgico estão a trombose venosa profunda, problemas cardíacas e pulmonares e os riscas relativos à anestesia, como o embate anafilático, alteração da frequência cardíaca e da pressão arterial.

FONTE: https://www.r7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *