Cálculo Renal

Quem não conhece uma pessoa que já sofreu com pedra nos rins? Certamente o grosso de nós conhece, pois o cálculo ou litíase renal é uma doença comum na população no globo todo, principalmente nos países de clima quente. A crise de cólica renal pode ser uma dos piores dores que o doente já sentiu na animação, pior que a dor do parto, na opinião de algumas mulheres.

Além disso, a cólica renal apresenta alta taxa de recorrência. Caso não seja assentado um tratamento contra a formação dos cálculos, a chance do paciente ter uma nova carência é de 50% em 5 anos e 75% em 20 anos. As pedras se formam em que época há excesso de alguma substância na urina como cálcio, oxalato e ácido úrico ou quando falta citrato na urina, considerado advogado contra a formação de cálculo. O nefrologista é a medicinal que realizará a investigação da origem das apurações, avaliando se existe alguma doença que justifique sua formação. Porém, muitas vezes o enfermo não apresenta nenhuma defeito e seus cálculos possivelmente se formaram pela arria ingestão de líquidos e dieta inadequada.

Dieta/Hábitos que favorecem a produção de cálculos:

  1. Sal (sódio) em excesso
  2. Ingestão de pouco líquido
  3. Excesso de proteínas de origem animal
  4. Ingestão abusiva de carboidratos (açúcar, grãos como arroz e feijão, batata, massas)
  5. Dieta com pouco cálcio (leite e derivados)
  6. Morar em cidades quentes
  7. Suor excessivo pela profissão ou prática de esportes.

Doenças que favorecem a formação de cálculos:

No passado se acreditava que quem tivesse cálculo deveria retirar os alimentos com cálcio da seu dieta. Atualmente, estudos já comprovam que a falta de cálcio na dieta pode estimular a formação de pedras e que, ao contrário do que se pensava, o paciente com cálculo deve ingerir uma quantidade normal de alimentos com cálcio por dia.

  1. Obesidade (urina se torna mais ácida, estimulando a formação de cálculo de ácido úrico)
  2. Diabetes tipo 2
  3. Ácido Úrico elevado
  4. Pós Operatório de Cirurgia Bariátrica
  5. Infecções Urinárias frequentes por alguns tipos de bactérias
  6. Doenças Intestinais (Doença de Crohn, Doença Celíaca, Síndrome do Intestino Curto)
  7. Hipercalciúria idiopática
  8. Hiperparatireoidismo Primário
  9. Hiperoxalúria Primária
  10. Acidose Tubular Renal Distal
  11. Síndrome de Bartter
  12. Cistinúria
  13. Alterações anatômicas no rim ou via urinária: rim em ferradura, estenose de JUP (junção ureteropiélica), rins policísticos
  14. Alguns tipos de medicamentos também podem contribuir para a formação de pedras nos rins.

Sintomas de calculo Renal

Quando o cálculo este localizado dentro dos rins, o paciente pode não apresentar sintoma nenhum e o diagnóstico ser feito por acaso através de uma apreciação de imagem abdominal como ultrassom ou tomografia. Entretanto, estima-se que cara-metade desses pacientes sem sintomas apresentarão uma crise de cólica renal em uma idade de 5 anos. Por outro lado, quando a apuração sai do rim e obstrui o canal urinário (ureter, ocorre a famosa cólica renal, um quadro de dor lombar intensa, de início adventício, com irradiação para a região lateral do abdome e frequentemente para a região genital. A dor pode ser tão forte que chega a causar náuseas e vômitos. Muitas vezes vem acompanhada de linha na urina por lesão da via urinária provocada pela pedra.

É importante sabermos diferenciar a dor lombal causada por cálculos daquela causada por doenças na coluna e musculatura da área lombar. Enquanto que a cólica renal se manifesta de um lado só e não tem encadeação com os movimentos, a dor de coluna ou muscular acomete geralmente os dois lados, irritação com os movimentos e asserena no repouso.

A orientação diante de uma cólica renal é procurar o pronto Socorro imediatamente para receber medicamentos para alívio da dor e preencher um exame de imagem para confirmação das diagnóstico. Muitas vezes a dor melhora com analgésicos usados pelo enfermo por conta própria, mas o cálculo pode ainda estar obstruindo o ureter. Quanto maior a demora para desembaraçar, maiores as chances desse rim ficar com consequências.

FONTE: https://www.terra.com.br/noticias/

FONTE: https://noticias.uol.com.br/

FONTE: https://www.estadao.com.br/mais-lidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial