Crostas no nariz após cirurgia

Septoplastia é uma intervenção realizada para a revisão de desvios existentes no septo nasal, de modo a deixá-lo o mais honesto possível. O propósito da intervenção é aumentar a respiração nasal. O septo nasal é a parte do nariz que divide a oco nasal em duas partes, devendo estar centralmente situado. É integrado por mucosa, cartilagem e embaraço.


Recomendação:


Pacientes portadores de chave de septo nasal que apresentam nariz obstruído e que não melhoram com tratamento com remédios. Pode ser associada à Rinoplastia Estruturada (plástica de nariz ) para pacientes com o nariz adunco que querem aumentar a plástica e a ofício nasal (Rinosseptoplastia).


Como é feita:


A cirurgia frequentemente é realizada por dentro do nariz, não sendo realizadas incisões externas, a não ser em casos bastante difíceis. Tardada quase 40 a 60 minutos, dependendo da dificuldade. O septo nasal, como todo o remanente da oco nasal, é recamado pela mucosa nasal. Para evidenciar as deformidades ósseas e cartilaginosas do septo, descola-se esta abrangência mucosa. Após a retirada e remodelagem das áreas deformadas, a mucosa nasal é reposicionada e suturada. Não há urgência de utilização do tampão nasal no pós-operatório, na grande maior parte dos casos.


Riscas e problemas:


É considerada intervenção de baixo perigo. Pouco ocorrem sangramentos essenciais em que há urgência de utilização de tampão nasal ou cauterização de vasos sangrantes. Em casos raros são capazes de acontecer sinéquias (aderências) e poço do septo nasal por cicatrização inaqueda. O índice de bom humor com essa intervenção é bastante alto.


Afazeres pós-operatórios:


Geralmente, o paciente recebe alta no mesmo dia. Alívio acidental por 48 horas após a intervenção. Neste tempo é comum a saída de jovem porção de sangue pelo nariz ou garganta. Exercício física pode ser iniciada depois de 10 dias, a norma do médico. A higienização nasal rigorosa, em casa (lavagens com soro fisiológico) e no consultório médico precisa ser feita, especificamente no primeiro mês depois de o técnica. O retorno ao consultório precisa ser semanal, para retirada de crostas que por insegurança venham a se fazer. Frequentemente a Septoplastia é associada à Turbinectomia, o que otimiza e completa o resultado final.

Turbinectomia ou conchotomia:


É uma intervenção ligado que possui por propósito a redução do massa das conchas ou cornetos nasais.
Conchas, turbinas ou cornetos nasais são projeções ósseas existentes no interior da oco nasal, recobertos por mucosa. Sua ofício é aquecer, umidificar e escoar o ar respirado.


Há cerca de 3 conchas de cada lado ( superior, média e inferior ). Não consubstanciar com adenóide. Os cornetos ficam dentro do nariz e são uma das principais motivos de fechamento nasal em adolescentes e em adultos. A adenóide encontra-se na região entre o nariz e a garganta (rinofaringe) e é fundamental pleito de fechamento nasal em crianças (no homem a adenóide quase não há ).


Recomendação:


A Turbinectomia está indicada no momento em que o paciente apresenta fechamento nasal fundamental resultante do crescimento do corneto, que não responde ao tratamento terapêutico, frequentemente em resultado de Rinite Alérgica e Rinite Medicamentosa ( submissão de descongestionante nasais).


Como é feita ;
Consiste na retirada do exagero dos cornetos, por via endoscópica. A intervenção dura cerca de 30 minutos. Geralmente não é preciso utilização de tampões.


Riscas e problemas:


É considerada uma intervenção de baixo perigo. Pouco ocorrem sangramentos essenciais em que há urgência de utilização de tampão nasal ou cauterização do vaso sangrante. O resultado ligado é bastante bom.


Afazeres no pós-operatório:


Frequentemente a alta é no mesmo dia. Alívio acidental por cerca de 48 horas após a intervenção. Neste tempo é comum a saída de jovem porção de sangue pelo nariz ou garganta. Exercício física precisa ser iniciada apenas depois de 10 dias ou a norma médico.

Saiba Mais: O nariz é como se fosse um telhado com estruturas internas que precisam estar bem distribuídas

É fundamental a prática de higienização nasal rigorosa especificamente no primeiro mês depois de o técnica, com lavagens diversas vezes ao dia, usando explicações de soro fisiológico. Neste tempo será preciso retorno toda semana ao consultório, para que sejam removidas crostas que por insegurança venham a se fazer.Portadores de Rinite Alérgica precisam realizar orientação e tratamento da enfermidade mesmo após a intervenção para evitar recidiva ( retorno dos sinais ).

FONTE: https://www.r7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial