Varizes Internas

Grande parte das mulheres padece com um dificuldade antipático: as varizes nas pernas. Além de incomodar esteticamente, elas são capazes de provocar dores e percepção de canseira.

No entanto, você sabia que há vários mais locais do corpo que similarmente são capazes de reproduzir varizes que várias vezes passam despercebidas a atenção escorchado? É o caso das varizes pélvicas, um dificuldade que atinge 10 a 15% das mulheres e que traz bastante mais dor de cabeça que as chamadas varizes normais. Nesse texto, eu trouxe algumas informações sobre as varizes pélvicas e as formas de tratamento. Vamos lá?


No artigo de hoje vamos abordar os seguintes tópicos:



Categorias de perigo;


Sinais;


Influência das varizes pélvicas na correlação sexual;


Reconhecimento;


Tratamento;


Dicas de prevenção em oposição a as varizes pélvicas;


Procure um médico;

O que são varizes?


Em nosso corpo, as veias evidencia a ofício de resultar o sangue que está sem gás de volta ao nosso coração e pulmões para que eles possam oxigenar e seguir a pascentar nosso corpo. Se as veias estiverem completamente saudáveis, isto é realizado sem qualquer dificuldade, porém devemos provocar em conta que a idade, a genética e a má refeição são capazes de importunar este processamento.


As veias saudáveis ​​ contem válvulas pequenas que auxiliam em sua ofício de voltar o sangue ao coração. As varizes são veias mais dilatadas que o habitual, que acumulam mais sangue do que o esperado. Frequentemente apresentam pequenas válvulas danificadas e, então, não facilitam a circulação de sangue para o coração. Tendo mais sangue e tendo paredes bastante finas, essas veias se dilatam e ficam com sangue aglomerado.


Elas frequentemente aparecem nas pernas, no entanto similarmente são capazes de surgir em outras partes do corpo. No momento em que estas varizes estão localizadas na pélvis, nos ovários e útero, acontece a síndrome da congestão pélvica. Várias vezes, as varizes pélvicas são acompanhadas por varizes nas extremidades inferiores e nas genitais externas.


Categorias de perigo


Ninguém está sensato de sentir com as varizes pélvicas, no entanto, as mulheres que tiveram uma ou mais gestações são mais propensas a sentir com este dificuldade. Isto acontece visto que ao longo a gestação, as veias pélvicas tendem a se alargar bastante, a fim de ter uma ótima conexão com o feto. Se essas veias não retornarem ao massa comum depois de o invenção, a mulher irá reproduzir varizes pélvicas.


Geralmente, as varizes pélvicas aparecem em mulheres entre 30 e 50 anos que tiveram uma gestação ou mais (o perigo amplifica com o algarismo de gestações) ou que evidencia histórico privado de varizes em suas mães, ancestrais ou tias. Várias vezes são mulheres que evidencia complicações hormonais e distúrbios menstruais com regras irregulares ao longo toda a vida.

Saiba Mais: Os médicos explicam que as varizes não são apenas uma questão estética


Sinais


A existência dessa síndrome não está bem determinada, já que é complicado de ser diagnosticada. Várias vezes, as mulheres que sofrem de síndrome da congestão pélvica visitaram diversos médicos e até mesmo de especialidades distintos visto que apresentam sinais pouco claros.

Essas mulheres frequentemente apresentam:


Dores na setor pélvica e abdômen inferior, com mais intensidade por volta dos 10-15 dias antes da sangue ;


Imoderação urinária ( redução de urina );


Inchaço ;


Dor ao longo o tempo menstrual;


Dor nas relações sexuais;


Percepção inespecífica que é descrita como peso no abdômen inferior ;


Sangramento intenso ao longo o tempo menstrual;
Distúrbios hormonais e de fecundidade.

Influência das varizes pélvicas na correlação sexual


As varizes pélvicas são capazes de ser um grande dificuldade para várias mulheres na momento da correlação sexual, já que um das principais conseqüências é a dor ao transar. Algumas mulheres que sofrem com as varizes procuram evitar as relações sexuais constantemente que possível e isso pode provocar a um erosão no relacionamento.


Constantemente as mulheres aprendem a coabitar com a dor, acreditando que é um sinal ligado à complicações na sangue ou por causa de à modificações hormonais.


Nesses casos, além de ingerir os medicamentos descritos pelo médico para suavizar os sinais, pode ser rendoso utilizar lubrificantes, o que tornará as relações pouco dolorosas. Este tipo de produto ameniza a rispidez vaginal, amplifica a lubrificação e torna o volúpia mais festivo.


Reconhecimento


Depois de suspeita de síndrome de congestão pélvica, distintos tipos de exames de imagem são capazes de ser realizados para o reconhecimento:


Eco-Doppler que pode ser abdominal ou transvaginal – essa técnica identifica as veias da parte inferior do abdômen e estuda o movimento por meio de delas. É um teste que não leva radiação e não requer disposição prévia do paciente.


Angiografia por tomografia computadorizada ou uma eco magnética para avaliar a vascularização abdominal.

Tratamento


Se o reconhecimento principiante for sancionado, o médico deverá regular remédios específicos e analgésicos para coarctar a dor. Caso o dificuldade não seja solucionado, o profissional será capaz de optar pela intervenção ou técnica de embolização.


Intervenção – o médico faz um “nó” nas veias afetadas, fazendo com que o sangue circule somente nas veias que estão saudáveis. Essa intervenção necessita de internamento hospitalar e é feita sob anestesia maior parte.


Embolização – posto de pequenas molas dentro das veias pélvicas que se encontram dilatadas, para fechar o entrega de sangue para as veias e coarctar, dessa forma, os sinais. A interferência dura cerca de 1 a 3 horas, e frequentemente não é preciso internamento hospitalar. Além disso, pode ser usada escleroterapia com baba ou mais embolizantes para auxiliar na oclusão das veias afetadas.

Nos dias depois de o cateterismo, é comum sentir um tipo de dor ou febre. Caso isto aconteça, você será capaz de utilizar a analségicos e antitérmicos, que irão aumentar os sinais.


Ao longo o tratamento é fundamental adotar alguns afazeres como utilizar meias elásticas de condensação e fazer treinos constantemente para produzir a condensação das veias e aumentar o retorno do sangue venal para o coração.


Dicas de prevenção em oposição a as varizes pélvicas


Caminhe todos os dias por 45 minutos para aumentar a circulação sanguínea;


Fuja de moda apertadas, como calça e bermudas, que dificultam a circulação sanguínea;


Evite ficar bastante tempo de pé e garganta. Além disso, 2 ou 3 vezes ao dia você precisa relaxar com pernas ligeiramente levantadas para favorecer o retorno do sangue.


Se estiver grávida, durma de lado, uma vez que isto irá coarctar a pressão do útero na disposição escavação (que leva o sangue para o coração );


Fuja de banhos de afundamento, o ducha é melhor. Uma ótima forma de reativar a circulação enquanto você estiver no ducha é interpolar o entre a água fria e quente ;


Controle o peso ao longo a gestação, uma vez que isto siga as determinações médicas e uma regime rica em fibras;


FONTE: https://www.r7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial